Orgulho LGBT: Diversidade e inclusão no local de trabalho

O dia do Orgulho LGBT é comemorado no dia 28 de junho. Nessa data celebramos o amor e a igualdade entre todas as identidades de gênero e orientações sexuais. Além disso, é um lembrete do importante trabalho ainda a ser feito para garantir a igualdade de direitos para os indivíduos LGBT.

Mesmo em países que deram passos importantes, pessoas LGBT enfrentam grandes obstáculos, com estudos que indicam que elas são mais propensas a serem vítimas de bullying na escola, tratadas injustamente no trabalho e terem o acesso a serviços básicos negado. Infelizmente, setenta e três países ainda criminalizam relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo, e poucos países reconhecem legalmente a identidade de travestis e pessoas trans.

Este vídeo sobre a campanha fevereiro laranja faz parte da biblioteca de conteúdos para tv corporativa da pix mídia

LGBTs e o mercado de trabalho

Ainda que tenha havido algum progresso nas últimas décadas, a promessa de igualdade no local de trabalho continua não se concretizando em muitos lugares. Um número significativo de funcionários LGBT ainda tem medo de “sair do armário” no trabalho porque temem que isso leve a constrangimentos e prejudique suas oportunidades de carreira. Da mesma forma, muitos trabalhadores LGBT não relatam aos seus supervisores ou ao RH os comentários negativos que ouvem pois creem que nada seria feito a respeito e não querem prejudicar suas relações com colegas de trabalho.

De acordo com a pesquisa A Workplace Divided, do Human Rights Campaign Foundation:

  • 53% dos trabalhadores LGBT relatam ouvir piadas sobre lésbicas ou gays, pelo menos de vez em quando;
  • 75% dos trabalhadores LGBT esconderam pelo menos uma vez a sua orientação sexual ou identidade de gênero no trabalho;
  • 46% dos trabalhadores LGBT nunca assumiram a sua orientação sexual no trabalho;
  • 20% dos trabalhadores LGBT relatam ter sido informados que deveriam se vestir de uma forma mais feminina ou masculina;
  • 31% dos trabalhadores LGBT dizem que se sentiram infelizes ou deprimidos no trabalho;
  • 20% dos trabalhadores LGBT já evitaram um evento especial em trabalho como almoço, happy hour ou uma festa de final de ano por se sentirem constrangidos devido à sua orientação sexual.

Os empregadores têm um papel muito importante a desempenhar também na igualdade trans. As pessoas trans continuam a enfrentar níveis desproporcionais e preocupantes de abuso em todas as áreas de suas vidas. Sendo assim, é importante combater a discriminação generalizada e garantir que estas pessoas sejam amparadas e acolhidas no trabalho. É vital que mais empresas e organizações desempenhem um papel ativo na defesa da igualdade

Um local de trabalho mais inclusivo

As empresas podem fortalecer a diversidade e promover uma cultura de respeito e igualdade tanto no local de trabalho quanto nas comunidades onde elas e seus parceiros comerciais operam. Portanto, celebrar atividades e eventos como Orgulho LGBT e o Dia da Visibilidade Trans no trabalho também pode ser incrivelmente impactante. Dias e eventos como esses não dão às organizações apenas a chance de destacar a participação LGBT nos negócios, como também enviam uma mensagem clara à sociedade em geral, de que elas valorizam a diversidade e a inclusão. 

Muitas pessoas podem se sentir confusas e sem saber como podem agir para tornar o seu local de trabalho mais inclusivo. Cabe a todos nós começar essa mudança. Seja você um executivo, um gerente, ou mesmo que esteja apenas iniciando no mercado de trabalho, cada um de nós pode desempenhar um papel no apoio à inclusão LGBT.

Se você acha que sua empresa poderia agir melhor, então por que não falar sobre isso com um gestor ou um executivo? Comece uma discussão. Todos se beneficiam porque a diversidade torna as organizações mais ricas, mais flexíveis e mais produtivas. Algumas ações simples do dia-a-dia, como incluir seus pronomes em sua assinatura de e-mail, usar um adesivo ou button de arco-íris em apoio ou, para pessoas que em posição de gestão, levantar tópicos de inclusão em reuniões – todo apoio conta. Você também pode questionar e responder qualquer comentário ou “brincadeira” preconceituosa que escute no trabalho, desde que seja seguro fazê-lo.

O que a sua empresa pode fazer pela diversidade LGBT

Estabeleça uma política clara anti-discriminação

Acrescentar uma cláusula não discriminatória à política da sua empresa é uma declaração contundente do seu compromisso de proteger os seus funcionários que pertencem a grupos minoritários. Isso fará com que os funcionários atuais e futuros de quaisquer status minoritário se sintam mais confortáveis. Dessa forma, eles saberão que se trata de um lugar seguro para trabalhar, onde eles não serão discriminados ou assediados, e lhes dá a capacidade de combater a discriminação ou o assédio, caso ele apareça. 

Conscientize sobre a diversidade

As empresas devem treinar os funcionários e, em especial, os gestores para conscientizá-los a respeito dos problemas enfrentados por pessoas LGBT e garantir que eles tenham consciência da sua responsabilidade de respeitar e defender os direitos de seus colegas LGBT.

As empresas deveriam garantir que não há discriminação no recrutamento, na contratação, nas condições de trabalho, nos benefícios, no respeito à privacidade ou no tratamento de situações de assédio. Elas devem promover um ambiente positivo e afirmativo para que funcionários LGBT possam trabalhar com dignidade e sem estigma. É essencial para qualquer política inclusiva, promover ações de conscientização entre os funcionários e processos de seleção voltados para públicos que sofrem discriminação, como pessoas trans. 

Evite Fazer Perguntas Invasivas

Tanto dentro quanto fora do local de trabalho, pessoas LGBT são frequentemente bombardeadas com perguntas invasivas e desinformadas por pessoas não familiarizadas com sua identidade. “Qual é o seu nome de verdade?”,  “Como você vai ao banheiro?” “Qual de vocês dois é o ‘homem’?” Estes são alguns exemplos de perguntas que são feitas a pessoas LGBT com muita freqüência. Certifique-se de que você e outros na sua empresa estejam cientes disso e não façam muitas perguntas desse tipo. Pode ser tentador se você nunca conheceu uma pessoa LGBT antes, mas muitas vezes esse assunto é algo pessoal e invasivo. Pessoas LGBT são apenas pessoas tentando viver suas vidas e ir trabalhar como qualquer outra pessoa. Se você tem uma curiosidade incontrolável sobre esse tema, tente perguntar ao Google!

Respeite Nomes e Pronomes

Muitas vezes, pessoas transgêneros preferem mudar seus pronomes (ele/ela/etc) a fim de se conectar mais de perto com seu gênero. Tente se acostumar se você com frequência se confunde e nunca use o pronome errado de propósito para ser ofensivo. Disforia de gênero (a sensação de incongruência entre o gênero e o sexo de uma pessoa) é muito prejudicial para a saúde mental de uma pessoa transgênero. Ter a sua identidade reafirmada por outros pode ajudar a aliviar sintomas, e tem um efeito profundamente positivo no bem-estar da pessoa.  

Facilite as mudanças de nome ou adoção da identidade social

Muitas pessoas transgêneros mudam seus nomes para algo que elas sentem que expressa melhor seu gênero. Mudar o nome em documentos legais pode ser um processo demorado e burocrático. Implemente um protocolo em sua empresa que permita que nome exibido nas mesas, em endereços de e-mail e em qualquer plataforma social ou de comunicação possa ser diferente do nome nos documentos da pessoa. As únicas pessoas para as quais a informação do nome real é relevante são os departamentos de folha de pagamento e RH.

O que você pode fazer para fazer a diferença

  • Ouça seus colegas LGBT e eduque-se sobre os problemas que eles ou elas enfrentam. Ter alguém com quem falar pode fazer a diferença quando se é minoria e você deve se orgulhar do fato de que alguém o vê como uma pessoa de confiança. Tenha em mente, no entanto, que só porque alguém veio até você não significa que tenha revelado seu status de LGBT a todos ou que esteja pronto para fazê-lo.
  • Verifique se você e as pessoas ao seu redor têm tolerância zero para qualquer forma de preconceito contra pessoas LGBT.
  • Questione e denuncie qualquer forma de abuso ou discriminação a pessoas LGBT, seja em casa, no trabalho, na escola, em público ou online.
  • Denuncie toda forma de violência, incluindo ameaça verbal agressiva, mesmo que não o atinja diretamente.
  • Mostre aos membros da comunidade LGBT que você é um aliado compartilhando conteúdos como este.

Estas são apenas algumas formas de ajudar a criar um espaço de trabalho mais aberto e afirmativo para as pessoas LGBT. Você nunca sabe quem é LGBT em sua empresa, por isso é uma boa ideia ter essas políticas em vigor e conscientizar todos os funcionários sobre elas. Fazer isso vai ajudar a tornar o ambiente de trabalho mais acolhedor para todos os funcionários atuais e futuros. Quanto mais organizações e indivíduos defenderem a igualdade, mais cedo viveremos em um mundo onde todas as pessoas sejam aceitas sem exceção.

TV Corporativa - solução para Comunicação Interna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *